Fechamento de comércios, serviços e obras não essenciais em PE é prorrogado devido ao coronavírus

Validade da medida, em vigor desde 22 de março, terminaria nesta sexta (17), mas foi prorrogada até 30 de abril. Entre as exceções, estão supermercados, padarias e farmácias.

Fechamento de comércios, serviços e obras não essenciais em PE é prorrogado devido ao coronavírus

O governo de Pernambuco prorrogou, até dia 30 de abril, o decreto que determina o fechamento do comércio e demais atividades consideradas não essenciais para conter a disseminação do novo coronavírus. A prorrogação da medida, que entrou em vigor em 22 de março, foi anunciada pelo governador Paulo Câmara (PSB) nesta sexta-feira (17), quando terminaria a validade do decreto.

"O vírus não está indo embora, está se espalhando. Ou se criam barreiras preventivas ou as mortes se multiplicarão. A proteção social também é fundamental. [...] Hoje, a maior liberdade é se livrar do vírus. Não minimize riscos. Ficar em casa é um ato de coragem e amor. O nosso índice de isolamento deve ser maior. Seja um agente de proteção. As medidas restritivas estão prorrogadas porque o primeiro compromisso é salvar vidas", afirmou o governador.

De acordo com o decreto, podem funcionar, entre outros, serviços relacionados à alimentação, como supermercados, padarias e mercadinhos; casas de ração animal; farmácias e depósitos de água mineral e gás; além de hospitais e serviços de abastecimento de água, gás, energia e internet.

Também continuam abertas oficinas mecânicas, lojas de assistência técnicas, lojas de defensivo e insumos agrícolas, bancos e serviços financeiros, lavanderias, serviços urgentes de manutenção predial e prevenção de incêndio, atividades decorrentes de contratos de obras particulares que estejam relacionadas à situação de emergência e atividades prestadas por concessionários de serviços públicos.

Segundo o secretário de saúde de Pernambuco, André Longo, não deve haver relaxamento nas medidas de restrição enquanto a pandemia não tiver atingido o pico da curva epidêmica.

"Sair de casa, nesse momento, é uma atitude que vai pressionar de maneira muito forte o sistema de saúde, e nós pedimos para que as pessoas fiquem em casa. O comportamento refratário às medidas sanitárias pode ser determinante para termos aumentos no número de mortes nos dias que virão", afirmou o secretário

A medida, segundo o governo estadual, segue as diretrizes estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para incentivar o isolamento social e, assim, diminuir a contaminação pelo Covid-19.

Foram confirmados, nesta sexta (17), 323 novos casos de pacientes com a Covid-19 em Pernambuco. Este é o maior número diário de confirmações desde a chegada do novo coronavírus ao estado. Com isso, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) contabiliza 2.006 casos da doença.

Também houve confirmação laboratorial de 26 novos óbitos nesta sexta (17). Com esse acréscimo, o estado contabilizou 186 mortes de pessoas que estavam com a Covid-19.